Depilação íntima masculina tem algum risco?

Aparar o excesso de pelos é um cuidado estético aconselhável, mas eliminar totalmente os pelos pode comprometer a saúde da região genital, por causa de cortes e foliculite.

Homem No Espelho - Depilação íntima masculina

Por Wilson Weigl

Cada vez mais homens fazem depilação do púbis e do escroto, sem nenhum constrangimento. Há aqueles que optam por procurar um salão de estética, mas a maior parte dos homens são adeptos do “faça-você-mesmo”. Porém não são incomuns visitas ao consultório do urologista por causa de lesões no pênis e na região pubiana relacionadas ao hábito de depilar os pelos.

Aparar o excesso de pelos é sempre um cuidado estético aconselhável, para não deixar a área parecendo um matagal. Mas eliminar totalmente os pelos não é uma decisão isenta de riscos, pois pode comprometer a saúde da região genital, principalmente por causa de pequenos ferimentos. Os pelos púbicos também ajudam a impedir que bactérias e outros microrganismos entrem no corpo.

Homem No Espelho - Depilação íntima masculina

“A depilação muitas vezes é feita com máquinas ou lâminas que podem provocar a mudança do microambiente genital ou causar traumas que levam a irritações, lesões de pele ou da mucosa da glande, a cabeça do pênis”, diz o urologista Marco Aurélio Lipayt, titular em urologia pela Sociedade Brasileira de Urologia e autor do Livro Genética Oncológica Aplicada à Urologia. “Pesquisas mostram que lesões no genital e na região púbica são comuns e ocorrem em 25% das pessoas depiladas”, completa o médico.

Vale lembrar que os pelos não nascem na genitália por mero capricho da natureza. Eles têm várias funções:

  • Reter o suor da transpiração.
  • Diminuir o atrito de pele contra pele durante o sexo.
  • Proteger a pele durante a fricção do caminhar.
  • Reter sujeira, detritos e micro-organismos nocivos, da mesma forma que os cílios dos olhos e os pelos do nariz e das orelhas.
  • Proteger contra infecções bacterianas e vírus sexualmente transmissíveis.

Homem No Espelho - Depilação íntima masculina

É comum aparecer ferimentos no pênis que se manifestam alguns dias após a depilação. “Essas lesões são causadas pelo atrito do pênis com os pelos do púbis e escroto, que agem como “lixas”, por serem duros e curtos ao despontar, como uma “barba por fazer”. Os fios só ficam macios quando estiverem mais longos e volumosos”, explica Marco Aurélio Lipayt.

Segundo estudos, pequenos ferimentos, cortes ou inflamação dos folículos (foliculite) aumentam o risco de contrair herpes, HPV e outras ISTs, infecções sexualmente transmissíveis, e doenças de pele. “Os folículos capilares onde nascem os fios produzem sebo, uma gordura que impede a reprodução de bactérias, e ao eliminar os pelos perde-se essa proteção”, afirma o urologista.

Homem No Espelho - Depilação íntima masculina

Por isso é importante procurar um médico caso se note o aparecimento de algum problema na pele do púbis, no escroto ou mesmo no pênis.

LEIA TAMBÉM

Em resumo: os pelos fazem parte da anatomia humana e tem uma função importante. A depilação total ou parcial dos pelos pubianos é uma decisão pessoal mas pode apresentar riscos — não para todo mundo, é claro. Se você prefere a área limpa, faça a depilação com muito cuidado:

  • Lave bem a área com sabonete antes de depilar.
  • Apare os pelos com tesoura ao máximo antes de passar a lâmina ou a máquina.
  • Use uma lâmina de barbear nova.
  • Use espuma ou gel de barbear.
  • Faça depois do banho, para amolecer a pele e os pelos.
  • Muito cuidado com a pele do escroto: além de sensível, por ser cheia de dobras o risco de um acidente ali é bem maior. E como a região é povoada por bactérias, um mínimo corte pode virar porta de entrada para uma infecção.
  • Depois de enxaguar, passe hidratante corporal.

Homem No Espelho - Depilação íntima masculina

Fazer depilação com cera, laser ou luz pulsada em clínica de estética pode ser uma opção mais segura e duradoura do que a  raspagem caseira.

Os aparelhos de laser e luz pulsada emitem feixes de luz que, na pele, se transformam em calor e destroem a raiz do pelo ou retardam seu crescimento. Você sente os disparos de luz como leves “choques”. Com apenas algumas sessões consegue-se um resultado duradouro.

Já a cera líquida seca no corpo formando uma película que, quando puxada, arranca os pelos pelas hastes de dentro da pele. É um método simples, rápido e custa pouco.

Fotos: Deposit Photos

https://www.instagram.com/homemnoespelho/?hl=en

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.