5 mentiras sobre masculinidade que oprimem os homens

Crenças sociais ultrapassadas sobre masculinidade ainda pressionam, complicam e limitam o desenvolvimento pessoal dos homens. É hora de bani-las de nossas vidas.

Homem No Espelho - 5 mentiras sobre masculinidade que oprimem os homens

Por Wilson Weigl

Por mais que o tempo passe, persistem na sociedade crenças equivocadas sobre masculinidade que abalam a autoestima de muitos, muitos homens. Desde meninos somos submetidos à tirania de dogmas sobre expressão de emoções, desempenho sexual, sucesso profissional, atributos físicos como corpo musculoso e até tamanho do pênis (leia aqui). São formas pré-históricas de pensar que pressionam, complicam e limitam o desenvolvimento pessoal dos homens. É hora de bani-las de nossas vidas.

Para piorar a pressão, o medo de se expor e expressar sentimentos impede que o homem fale abertamente sobre suas experiências e busque apoio e aconselhamento sobre seus problemas de natureza íntima.

Estamos imersos em uma sociedade cada vez mais superficial, intoxicada por posts exibicionistas no Instagram e TikTok, selfies com filtros e vídeos de vidas de luxo, em que o número de seguidores define não apenas a popularidade como o próprio “valor” de uma pessoa. O fascínio pelas celebridades e a natureza competitiva da sociedade alimentam definições limitantes sobre mérito, prestígio, capacidade, reputação e sucesso de um homem.

LEIA TAMBÉM

Aqui estão 5 mentiras impostas aos homens sobre como devem ser, pensar e agir. Supere!

Mentira nº1: Um homem deve resolver seus problemas sozinho

Homem No Espelho - Masculinidade

Esse clichê faz com que muitos homens se fechem em si mesmos em situações adversas, com medo de parecerem “fracos” e incapazes de resolver seus problemas. Ter uma rede de apoio não é motivo de vergonha e sim de orgulho. Todo homem precisa de bons amigos e pessoas com quem possa desabafar e pedir conselhos. Não sinta receio de pedir ajuda para um problema.

Mentira 2: O sucesso determina o valor de um homem

Homem No Espelho - Masculinidade

A sociedade impõe a ideia de que o valor de um homem está ligado à sua carreira, conta bancária e posses. Segundo a crença, é preciso ser bem-sucedido profissionalmente e ganhar bem, porque o homem deve ser o “provedor”, responsável pelo sustento da família. “Aquele cara que você está namorando… Ele tem um bom emprego?” é uma pergunta clássica.

Ninguém deve medir sua autoestima pelo patrimônio, mas pelo caráter. Um homem deve causar um impacto positivo em seu círculo por sua personalidade e atitudes, não pelo sucesso na profissão ou salário. Claro que é importante trabalhar duro para alcançar realização profissional e independência financeira. Mas se alguém mede seu valor por seu sucesso, pense duas vezes sobre o que essa pessoa quer realmente de você.

Mentira nº3: A masculinidade é definida pela força física e capacidade atlética

Homem No Espelho - Masculinidade

Desde os primeiros anos de escola, os meninos são pressionados a crer que seu valor masculino depende de sua força física e habilidades atléticas. Aquele que é mais forte, mais rápido ou marca mais gols costuma ser elogiado e recompensado, enquanto o mais fraco, sem habilidades esportivas, é posto de lado e às vezes até humilhado por bullying. Na infância, é difícil sair ileso dessa crença destruidora da autoestima, que gera frustração e decepção que se carregam para o futuro. Mas quando se vira adulto é preciso investir todas as forças para erradicá-la de sua concepção sobre si mesmo.

A boa forma física é sempre algo positivo e recomendável e todo homem deve se esforçar para levar uma vida saudável, fazer exercícios físicos e cuidar da aparência. Mas tenha convicção de que seu valor como homem não está limitado à beleza, atributos físicos ou desempenho nos esportes. Pode ser uma tarefa difícil mudar essa mentalidade nestes tempos de exibicionismo no Instagram e Tik Tok, mas vale a pena mudar essa concepção dentro de si mesmo. 

Mentira 4: Os homens não devem expressar suas emoções

Homem No Espelho - Masculinidade

Pode parecer que essa crença limitante está sendo erradicada da sociedade, mas na verdade nem tanto. Ainda sobrevive a convicção de que os homens devem ser menos emocionais que as mulheres, conter suas emoções – o que significa ter menos emoções ou mesmo reprimi-las. Todo homem pode – e deve – admitir e expressar seus sentimentos. A capacidade de entender e comunicar como você se sente leva a relacionamentos mais ricos e frutíferos.

Muitos homens tendem a lutar para “diminuir” o espectro de suas emoções ao ponto de limitá-las ao limite mais básico, reprimindo a riqueza de seus sentimentos. Não tenha receio de se abrir, se expor e conversar sobre como você se sente, com o(a) parceiro(a), pais, família, amigos. Como foi dito acima, admitir e expressar suas emoções o tornará mais capaz de lidar com elas.

Mentira 5: A masculinidade é medida pela vida sexual

Homem No Espelho - Masculinidade

Não é surpresa que algumas das maiores crenças limitantes masculinas tem a ver com sexo. Desde meninos somos criados sob o peso de dogmas que parecem nunca terminar. O homem se sente pressionado a tomar a iniciativa, a ser o “sedutor” e “caçador”, ter vida sexual movimentada e um desempenho incrível na cama, porque essas seriam condições indispensáveis para validar sua masculinidade.

Nenhum desses atributos deve ser medida de virilidade. Sexo é um território em que cada homem tem suas vivências, necessidades, preferências, e não existe medida para uma vida sexual saudável, muito menos em quantidade de parceiro(as). É importante educar a autoestima sem precisar da aprovação dos outros. Se você não se enquadra nesse perfil de “predador sexual”, não permita que isso abale sua autoconfiança  e seu equilíbrio. Converse com os amigos (se abrir com eles não é nenhuma vergonha, como está dito lá em cima), troque experiências. Caso seja preciso, procure orientação de um psicólogo ou sexólogo.

https://www.instagram.com/homemnoespelho/

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.