O coque samurai continua firme e forte, sim senhor!

Getting your Trinity Audio player ready...

Teve gente que achou que o coque samurai (ou man bun) seria só uma tendência passageira, mas esse estilo de cabelo continua conquistando adeptos (ainda mais no Brasil). A gente ensina os cuidados para quem adota (ou quer adotar) o visual.

Por Wilson Weigl

Muitos curtem, outros detestam. Mas não tem como afirmar que o coque samurai (ou man bun) foi só uma tendência passageira, já que estilo de visual continua firme e forte no mundo todo. Além de ser um penteado moderno, também é prático nos dias de calor para quem tem cabelo longo. Aproveitamos para falar dele porque no dia 24 de abril várias cidades brasileiras comemoram o Dia do Samurai. Nessa data nasceu o mestre “Sensei” Jorge Kishikawa, principal introdutor no Brasil das artes tradicionais dos nobres guerreiros que tiveram seu apogeu e fama entre os séculos 12 e 15 no Japão.

Detalhe importante: o verdadeiro coque samurai não é nem uma “chuca” no topo da cabeça nem um rabo-de-cavalo. É um meio termo, com fios presos na “coroa” da cabeça ou um pouco abaixo.

Não basta só amarrar um elástico na cabeça e você está pronto para sair aí. É preciso cuidar bem do cabelo, tanto para não estragá-lo quanto para o penteado ficar bacana. Para quem aderiu (ou vai aderir) ao estilo, Wesley Troiano, diretor técnico dos produtos masculinos Macho-lândia, dá as dicas para cultivar e cuidar dos fios longos.

  • O COMPRIMENTO MÍNIMO DO CABELO

Para o coque samurai ficar bacana, o ideal é que os fios tenham por volta de 18 cm de comprimento. Tanto faz que o cabelo seja liso ou cacheado (o coque fica legal nos dois casos). Como o cabelo cresce em média 1,5 cm por mês, é preciso paciência até chegar ao tamanho.

  • O FORMATO DO ROSTO

Em princípio, o estilo combina com todos os formatos de rosto — oval, redondo, quadrado, triangular, coração — e pode mudar totalmente as linhas faciais, como uma moldura. “Dá para experimentar mudanças deixando fios soltos nas laterais, prendendo o coque de um jeito mais folgado ou deixando-o bem amarrado com os cabelos alinhados, amarrando mais alto ou mais baixo, criando topete”, explica Wesley.

  • COQUE E BARBA

Essa é uma dobradinha bacana, apesar de o coque ficar bacana também na cara limpa. O cuidado é harmonizar bem o comprimento da barba (“por fazer”, curta, média ou longa) e o estilo (cheia, só cavanhaque etc) com a maneira que você amarra o coque.

É preciso também deixar a barba sempre bem desenhada e aparada ou você vai ficar com cara de desleixado e sujinho, em vez de moderno.

  • CUIDADO COM A OLEOSIDADE

O trato do cabelo para o estilo samurai é basicamente o mesmo dos outros estilos de corte, mas com uma diferença principal em relação à oleosidade.

Ficar o dia todo com o cabelo amarrado pode aumentar a oleosidade natural do couro cabeludo, provocando coceira e aquela sensação desagradável de cabelo sujo e detonando o penteado. Quem tem cabelo muito oleoso deve usar shampoo e condicionador que ajudem a diminuir e controlar a produção de sebo do couro cabeludo.

  • CUIDADO COM O RESSECAMENTO

Apesar de que o cabelo preso pode ficar oleoso (como falamos acima), é bem comum que as pontas dos fios fiquem ressecadas. Isso acontece porque no cabelo comprido a oleosidade produzida no couro cabeludo não consegue se estender por todo o fio e chegar até a ponta. Daí o cabelo fica seco e embaraça com facilidade. O ideal é caprichar no condicionador nas pontas ou até usar um creme sem enxágue (leave-in).

  • NÃO AMARRE O CABELO MOLHADO

A maior de todas as mancadas para quem adota o estilo samurai é amarrar o cabelo ainda molhado. “A umidade pode estimular o crescimento de fungos que danificam os fios e podem comprometer seu crescimento saudável, contribuindo para a queda. Antes de prender o cabelo, seque bem ao natural ou com secador.

 

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.